Dicas, inspiração

5 Erros de Todo Fotógrafo e Como Aprender Com Eles

Júlia-câmera-9377

A maior mentira da fotografia é “aprenda a fotografar para não errar”. O erro é uma das ferramentas mais poderosas do aprendizado.

Ou seja, a lógica é “Erre mais para aprender a fotografar”. Isso faz parte do processo natural para encontrar sua própria forma de criar fotografias. Fotógrafos experientes e mestres de criatividade já declaram a importância das falhas para criar seu próprio estilo.

Reuni alguns dos erros mais comuns da fotografia – e mais importante, o que eu aprendi com eles.

 

Condição obrigatória

Essas dicas podem melhorar sua fotografia mas apenas se você entender essa condição: erros não servem para te ensinar exatamente o que fazer, mas podem te ajudar a descobrir como a fotografia se encaixa na sua vida e quem você é como fotógrafo. Esqueça um pouco os resultados e preste mais atenção no processo.

Os 5 Erros Que Todo Fotógrafo Cometeu (ou vai cometer) são:

1. Não Fotografar Tanto

Esse é um dos erros mais perigosos para a criatividade. Quando a gente começa a fotografar, compra uma câmera nova ou conhece um lugar novo, é quase instintivo fazer milhares de fotos.

Mas com o tempo, a empolgação passa. Sua câmera começa a ficar mais tempo na mochila do que disparando.

Ser um bom fotografo significa se manter curioso e capaz de olhar o mundo como se tudo fosse novidade. Quando você começar a sentir que diminuiu seu entusiasmo em clicar, pense em maneiras de voltar a ter inspiração. Arranje um desafio, faça uma viagem, crie metas diárias ou tente algo novo e criativo.

Esse erro costuma voltar de tempos em tempos. Fique atento para notar.

2. Fotografar Demais

Se clicar pouco é um problema, não pense que fotografar muito é a solução. A mesma empolgação que você tem quando compra um equipamento novo pode ser um problema se você não tiver cuidado.

Em uma aula, expliquei aos alunos uma técnica chamada “Set The Mindset”. O conceito é simples, pensar em como fazer a edição da imagem antes do clique. Depois dessa aula, muita gente descobre um grande problema: fotografam sem pensar.

É fácil cair nessa armadilha, principalmente quando muitas coisas estão acontecendo na sua frente. Fotojornalistas são mestres em lidar com isso e você pode aprender muito experimentando esse tipo de abordagem.

Pensar no sentido e na mensagem enquanto fotografa evita perder tempo editando e selecionando inúmeras imagens para encontrar alguma boa.

Tenha em mente que você deve fotografar mais momentos significativos. Para isso, eu sempre lembro de usar a cabeça antes de usar o disparador – repetir esse mantra durante ensaios e coberturas me ajuda a evitar esse erro.

3. Não Organizar Suas Fotos

Quem já fotografa há algum tempo, sabe que os primeiros meses são lembrados por arquivos e pastas bagunçados. Eu mesmo demorei meses para organizar os catálogos de fotos do começo da carreira porque aprendi métodos ineficazes de catalogação.

Além de perder tempo, acabamos perdendo algumas fotografias importantes tanto pelo valor histórico quanto pela qualidade. O resultado se reflete em um portfólio menos rico do que poderia ser.

Mesmo fotógrafos experientes comentem esse erro – que se intensifica com os profissionais que confundem o Lightroom com o Photoshop e pensam que ele é um mero software de edição. Saber organizar seus catálogos do Lightroom pode ser um grande benefício para o seu fluxo de trabalho e um caminho para evitar fotos bagunçadas e difíceis de acessar.

4. Acreditar Que Um Novo Equipamento Vai Melhorar Suas Fotografias

Depois de muito tempo na caminhada, começamos a repensar nosso trabalho. Aquelas fotos que pareciam incríveis não parecem mais tão boas. Sentimos que precisamos renovar algo. Nessa hora a pressão do mercado pode fazer você acreditar que comprar o último lançamento de câmera ou aquela lente famosa podem te ajudar a melhorar.

Só quem já viveu essa experiência entende – e tenho certeza que se você não, é só questão de tempo. Cerca de 80% das perguntas que fazem para bons fotógrafos tem a ver qual equipamento. Mas quando você gasta todo aquele dinheiro com o equipamento novo e percebe que a câmera ou a lente dos seus sonhos não faz você criar as fotos sonhadas, o doce investimento começa a ficar amargo.

A verdade é que um bom equipamento pode melhorar muito a nitidez, as cores, o campo dinâmico e aumentar as possibilidades criativas. Mas depois de um tempo, você percebe que voltou para o mesmo lugar onde estava antes e quem precisa de mudanças não é seu equipamento, é você.

O equipamento é como um fator multiplicador do talento. Em um cálculo simples, podemos dizer que um bom equipamento multiplicado por um talento mediando gera fotos na média. Mas um equipamento mediano multiplicado por um ótimo talento gera fotos incríveis.

A saída para essa situação nos leva ao próximo erro:

5. Negligenciar o Estudo da Fotografia

A fotografia é uma linguagem assim como a escrita – e por mais talentoso que você seja, ninguém nasce sabendo ler e escrever. Esse é o erro mais perigoso porque pode atingir desde iniciantes até profissionais de longa data. Não importa qual seu nível, você precisa continuar aprendendo.

Acreditar que alguém nasce com o dom da fotografia é tão perigoso quando achar que não existe mais nada para aprender. Isso vale para a técnica fotográfica, para os elementos de linguagem fotográfica e principalmente para a criatividade.

Se eu aprendi algo importante sobre criatividade é que podemos aprender em qualquer situação. Um dos maiores professores de criatividade do Brasil, Murilo Gun, se define como aprendedor.

Lembre-se sempre do que Alvin Rofler disse: os analfabetos do século XXI não serão aqueles que não souberem ler e escrever. Mas todos que não souberem aprender a desaprender para, então, reaprender.”

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *