Regra dos Terços: O que é e como aplicar

Conhecida como a regra dos terços, essa definição, na realidade, não é uma regra. Sim uma ferramenta que utilizamos para organizar os elementos na imagem. O conceito é simples, divide-se proporcionalmente o quadro da foto com duas linhas paralelas verticais e duas, paralelas e horizontais. Isso deve resultar em uma grade assim:

Para facilitar a vida, algumas câmeras oferecem a opção de visualizar a grade.
Para facilitar a vida, algumas câmeras oferecem a opção de visualizar a grade.

Nas quatro intersecções dessas linhas, sinalizadas pelo círculo vermelho, estão localizados os pontos áureos da imagem. Assim chamados porque neles se concentra a visão do leitor. A regra dos terços nos ajuda a posicionar o motivo mais expressivo da imagem nesses pontos para criar uma leitura mais harmoniosa da cena.

E por que nesses pontos?

O conceito deriva do referencial da beleza matemática: a razão de ouro. Que vem lá dos gregos, desde Pitágoras, compondo as belas obras da história. Um matemático italiano de sobrenome Fibonacci descobriu também ser essa a razão proporcional que rege o crescimento na natureza, presente nas estruturas do corpo humano, das plantas, na formação dos crustáceos e por aí vai.

Recebe ainda o nome de a razão de ouro, número de Deus, divina proporção, número de ouro ou somente proporção áurea.
Recebe ainda o nome de a razão de ouro, número de Deus, divina proporção, número de ouro ou somente proporção áurea. (via Pinterest)

 

http://professor-rodrigo-sesi.wikispaces.com/file/view/mona.jpg/245107049/mona.jpg

Está presente, por exemplo, na Mona Lisa de Da Vinci. Obra que foi pintada com a tal proporção nas relações entre o tronco e a cabeça, também como nas partes do rosto e os olhos, situados em subdivisões chaves da tela. Vários outros pintores e escultores, desde a Renascença, criaram a partir das possibilidades que lhes dava a composição áurea das formas.

Agora voltemos a fotografia.

Esse recurso das artes plásticas, dá a fotografia mais capacidade para retratar a realidade com perfeição e harmonia. A regra dos terços seria uma aproximação ao esquema áureo de Fibonacci utilizada por nós fotógrafos para compor imagens mais belas, no sentido matemático da coisa. Segundo alguns estudos do comportamento humano, também o olho, busca numa imagem primeiramente os pontos áureos (de intersecção) para depois chegar ao meio.

Pensando nisso, resumi abaixo algumas dicas de como utilizar a tal regra e que vão revolucionar a sua foto.

Para fotografar paisagens:

Use posicionar as linhas horizontais da grade junto a linha do horizonte ou em linhas dos assuntos que provoquem uma divisão na foto, seja de luz, de cor ou de textura.

As linhas da grade sobre a linha do horizonte da paisagem.
As linhas da grade sobre a linha do horizonte da paisagem. (FOTO: Debora Bah)

Para fazer retratos:

As mesmas linhas horizontais servem para localizar os olhos do sujeito. E em fotos de grupo, é ótimo para posicionar as cabeças.

As linhas nos ajudam a posicionar o motivo mais expressivo da imagem nos pontos áureos para criar uma leitura mais harmoniosa da cena.
As linhas nos ajudam a posicionar o motivo mais expressivo da imagem nos pontos áureos para criar uma leitura mais harmoniosa da cena. (FOTO: Debora Bah)

Para fotografar assuntos gigantes:

As linhas verticais da grade servem muito na hora de fotografa bosques, árvores, cachoeiras, aspectos específicos da arquitetura ou uma pessoa em primeiro plano com um assunto amplo como fundo.

_BAH4449
A regra dos terços nos ajuda a destacar as áreas de interesse na imagem. (FOTO: Debora Bah)

Para isolar as áreas de interesse:

Busque criar áreas de foco específico para os pontos áureos, isolando os assuntos nessas intersecções da grade.

São diversas as alternativas criativas para usar a regra dos terços.
São diversas as alternativas criativas para usar a regra dos terços. (FOTO: Debora Bah)

 

E por último e muito importante: Esqueça, por um momento, tudo o que eu disse e faça do seu jeito.

Exatamente. Depois de saber como faz “todo mundo” é importante, arriscar fazer diferente. Quebre a regra e busque sua maneira de expressão mais original, encontre seu diferencial artístico. Não em todos os casos, porém às vezes, é muito melhor ter o assunto no meio do quadro. E você pode criar outras regras sobre essa: imagine uma grade que divida o visor com quatro linhas em vez de três, por exemplo.

Meio dia na Bahia. (FOTO: Debora Bah)
Meio dia na Bahia. (FOTO: Debora Bah)

 

A grade serve para guiar nosso olhar, é apenas uma ferramenta viável pra chegar à boa foto. Experimente variações, tente com o assunto no centro e depois tente fazer o mesmo usando as dicas que acabou de ler. Aproveite ainda pra testar isso com a câmera do celular.

Um mestre me disse que só alcançamos nossa boa foto depois de haver feito umas dez mil das ruins. Quando exercitamos os temas analisando nosso desenvolvimento aprendemos mais rápido e de maneira mais eficaz. Portanto, fotografe. E divida com a gente os seus resultados. Vamos aprender juntos!

Continue estudando e praticando. E pratique muito!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *